Como conseguir manter o sono afastado na hora dos estudos em 3 etapas!

As 7 etapas práticas para estudar longas horas sem ficar cansado ou sonolento, você encontrará aqui. Todo mundo quer essa pequena vantagem, que pode colocá-lo à frente dos outros. Uma dessas áreas é inserir horas mais efetivas no seu horário de estudo.

E se você puder estender suas horas de estudo diárias efetivas de oito para dez? É difícil, sem dúvida, mas alcançável. Nesta postagem, abordarei sete etapas que ajudarão você a combater a letargia (além de medidas adicionais que você pode adotar para combater a sonolência à noite) ao estudar e, portanto, aumentar sua produção diária.

Mas, antes de chegar ao primeiro passo, quero fazer três pontos rápidos:

  • Quando se trata de dominar acadêmicos ou qualquer campo, o número de horas em si não significa muito. O que importa é a qualidade do estudo que você coloca?

Para dar uma analogia, você acordou de manhã sentindo-se tonto mesmo depois de um sono de oito horas? Eu tenho. Se o seu sono for interrompido por alguns motivos durante a noite, você também vai acordar cansado e grogue, apesar de oito horas de sono.

E sem a interrupção, é muito mais provável que você tenha um bom sono, apesar de dormir por seis horas. Você começa o ponto: a qualidade supera a quantidade. O mesmo vale para estudar.

Se, apesar de estar bem descansado, você se sentir letárgico e desafiador para começar, então o problema pode estar em outro lugar. Você pode estar procrastinando ou, pior, pode estar com falta de motivação.

Supere os estudos com esforços!

Todos nós procrastinamos e isso pode ser superado com esforço, mas a falta de motivação pode exigir intervenção em um nível mais profundo e maior. Não se esforce ao custo de dormir e se exercitar. Essa rotina comprometerá sua saúde e, portanto, não será sustentável.

Tendo dito que aqui estão sete passos que você pode tomar para estudar longas horas sem ficar muito cansado ou sonolento: Priorize sua programação! Assuma tópicos difíceis no início do dia.

Pegue o material difícil na manhã quando você estiver em sua melhor energia. (Para a maioria das pessoas, esse é o momento em que elas são mais produtivas. Se, de alguma forma, você for uma exceção, sinta-se à vontade para usar o material difícil de uma vez que funcione para você.)

Esse agendamento combina sua energia com a dificuldade da tarefa em mãos. Como resultado, você enfrenta tópicos menos desafiadores à noite, quando você dissipou um monte de sua energia física e mental e quando a tendência a folga é maior.

Pelo contrário, se você escolhe coisas fáceis no começo do dia para ter uma falsa sensação de progresso o que muitos procrastinadores fazem você está mais propenso a sucumbir à procrastinação e desistir no final do dia quando sua energia e determinação odiariam ser testado.

Pela mesma razão, na medida do possível, programe suas atividades não acadêmicas de baixo esforço, como socializar, fazer ligações e realizar tarefas diárias no final do dia.

Exercícios

No que diz respeito aos acadêmicos, o exercício físico aumenta a capacidade de aprendizado e a memória de longo prazo e controla a ansiedade e a depressão. Mas os benefícios do exercício vão além: também melhora a concentração, o estado de alerta e a motivação.

Para citar John J. Ratey, professor clínico associado de psiquiatria na Harvard Medical School e co-autor do livro Spark: A nova ciência revolucionária do exercício e do cérebro (o livro investiga como o exercício afeta o cérebro): Ele [exercício] otimiza sua mentalidade para melhorar a atenção, atenção e motivação.

E os efeitos do exercício são visíveis quase que imediatamente. Em uma revisão de vários artigos científicos publicados, este resumo de pesquisa da Universidade do Texas, Austin diz: A atividade física pode ter benefícios imediatos e de longo prazo no desempenho acadêmico.

Quase imediatamente após se engajar em atividade física, as crianças são mais capazes de se concentrar nas tarefas da sala de aula, o que pode melhorar o aprendizado. Com esses benefícios, você pode obter mais do seu estudo, mas também durar mais tempo.

No entanto, nem todos os exercícios são feitos na medida em que sua eficácia em melhorar sua concentração e alerta em causa. A maioria dos estudos considera 30 e poucos minutos de exercícios cardiovasculares vigorosos e indutores de suor como os mais eficazes.

Noites bem dormidas não podem faltar!

Quando você se exercita, os neurotransmissores são liberados no cérebro mantendo-o acordado e alerta. Há uma razão evolutiva para isso. Nas savanas africanas, sempre que os humanos pré-históricos sentiam o perigo – e havia muitos – dos predadores, ficavam alertas e fugiam para a vida deles.

Essa evolução ativou o estado de alerta com atividade física em nós. Então, quando você está se exercitando, o cérebro recebe o sinal de estar alerta, desperto.

Você pode fazer qualquer exercício aeróbico (alguns exemplos: corrida, saltos, saltos e subida de escadas) que eleva sua frequência cardíaca. Mas, como mencionei anteriormente no post, leve em conta fatores como flexibilidade, força e saúde geral para determinar se um determinado exercício é apropriado ou não para você.